Empreendedorismo feminino

Numa-na-mídia-07

Nos últimos anos, se tem explorado muito o tema empreendedorismo. Ao mesmo tempo em que pesquisas revelam que montar o próprio negócio – e ser seu próprio chefe – está entre os três maiores sonhos do brasileiro. Deste cenário, gostaria de destacar o empreendedorismo feminino, já que a mulher representa 51% da população do país.

De acordo com o estudo global Gender – GEDI (Global Entrepreneurship and Development Index – Índice de Desenvolvimento e Empreendedorismo Global), indicador sobre empreendedorismo feminino ao redor do mundo, realizado este ano, o Brasil ocupa a 20ª posição do ranking, entre 30 países. E, segundo os dados mais recentes sobre o Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas, elaborado pelo SEBRAE em parceria com o Dieese, as mulheres ainda não são a maioria entre os  empresários brasileiros, mas o número de empreendedoras cresceu 21,4% num período de dez anos. De cada dez empresas em atividade no Brasil, três são comandadas por um profissional do sexo feminino. O estudo também revela que: 41,3% da mulheres têm entre 18 e 39 anos e 52% têm entre 40 e 64 anos. Em torno de 40% delas são chefes de família e 70% tem ao menos um filho.

Esses dados são animadores, ainda mais se observarmos a faixa etária (de 18 a 64 anos). Ou seja, não tem idade certa para começar seu próprio negócio. As empreendedoras estão fazendo os sonhos saírem do papel. Mas, é necessário que os números cresçam mais. Ainda há mais por vir! E precisamos, também, de igualdade de gênero entre os cargos de liderança dentro das empresas – fomentar o intraempreendedorismo (ato de empreender dentro dos limites de uma organização já estabelecida). As mulheres têm muita capacidade de realizar o que sonham e viver fazendo o que as motiva, mas algumas delas, talvez, não tenham percebido isso. Somos capazes de aliar características como iniciativa, coragem e determinação, com sensibilidade, intuição e cooperação, entre muitas outras.

E você aí, cheia de sonhos, ideias e planos do que realmente lhe faria feliz se tivesse que fazer isso todos os dias para o resto de sua vida, mas está em dúvida. Quantas vezes já quis ir em busca do que realmente te motiva mas se perguntou: “E, se não der certo?”. Claro que no início da um friozinho na barriga, pesa a estabilidade que você – acredita que – tem no cargo que ocupa ou na empresa na qual trabalha, contra a instabilidade de não saber o que pode acontecer.

Realmente, começar um negócio não é uma tarefa fácil, mas aí que entra a questão da busca de informação e orientação. E, hoje, há uma série de maneiras para aprender e se atualizar. Além de livros e a internet, existem os eventos que tratam sobre e fomentam o tema. Participando desses eventos você vai conhecer outras empreendedoras, que podem estar no mesmo barco que você ou lhe dar dicas valiosas, além de se fazer presente no mundo dos negócios. As mulheres empreendedoras impulsionam economias mais prósperas.

Sou uma entusiasta do empreendedorismo feminino e do potencial que as mulheres têm para desenvolver. Apoio com o propósito de inspirar e auxiliar para que mais mulheres possam ter crescimento profissional e pessoal. Tire as ideias do papel, coloque a mão na massa e vá em busca do que te faz feliz! Sem fazer nada, o NÃO você já tem, que tal tentar o SIM?

Bons negócios!

Manoeli Marschner Rodrigues

Sócia – Numa Negócios Criativos e Cofundadora do Entre Elas.

Artigo publicado na Revista Negócios na Cidade, em novembro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s